Publicado por: União das Mães | 08/07/2015

FAMÍLIA – PATERNIDADE

FAMÍLIA – PATERNIDADE

Família e Paternidade

Neste mês de agosto, a Igreja nos oferece um tempo especial de meditação e nos convida a um maior entendimento sobre o tema VOCAÇÃO.

Nesta matéria iremos abordar especificamente o tema Família e Paternidade. 1º. Deus – A paternidade de nosso Pai do Céu; 2º. A paternidade de nosso Pai e Fundador Pe. José Kentenich e 3º. A paternidade do Homem terreno na vida familiar.

Paternidade divinaA PATERNIDADE DE DEUS – É difícil viver a paternidade em uma sociedade como a nossa, em que precisamos provar de toda forma que Deus é Pai bondoso, que Jesus o chama carinhosamente de “Paizinho, Abba!“

Ao chamar Deus de Pai, Jesus expressou a maior carga de ternura, de cumplicidade, de proximidade, de amor que alguém possa ter, colocando em perfeita sintonia, através da oração do Pai Nosso, nosso coração e aspiração de nossa alma com o coração de Deus. Um Deus com imenso amor paternal, que oferece seu único Filho em holocausto para que ninguém se perca (Jo 4, 34; 6, 38).

Jesus cumpriu plenamente a vontade do Pai e, quando Felipe pediu que Ele lhe mostrasse o Pai, imediatamente o fez compreender que Ele e o Pai eram um. (Jo 14,9). A paternidade de Deus revelada em Jesus é a fonte onde devemos beber para nossa santificação.

Pe. KentenichA PATERNIDADE DE NOSSO PAI E FUNDADOR – PE. JOSÉ KENTENICH: “… o sentido mais profundo de sua vida era ser Pai”. Lendo sobre sua vida, veremos como cresceu e desenvolveu essa graça da paternidade que Deus lhe concedeu. Ele sentia e dizia que seu ser pai foi o núcleo de sua personalidade e missão. Deus nos deu assim um Fundador cujo carisma pessoal foi o de irradiar esse rosto de pai. Deus Pai nos presenteou um reflexo vivo de sua própria paternidade divina.

Estudando a vida do Padre Kentenich, podemos descobrir outro traço essencial de sua personalidade: diante dos homens, ele era e queria ser sempre pai, mas diante de Deus sentia-se sempre como criança, como a criança mais pequenina. O homem maduro é filho e é também pai, é como uma ponte por meio da qual Deus quer doar-se a nós. Esse é o ideal que o Pai anunciou e encarnou durante toda sua longa vida.  (site: maeperegrina.org.br).

Pe.Kentenich idealizou e formou uma família schoentattiana: que “pela força da Aliança de Amor com a Mãe e Rainha Três Vezes Admirável de Schoenstatt se empenhe com sucesso para encarnar, de maneira atualizada, o ideal da Família de Nazaré”.

Sua paternidade conduz a um objetivo grandioso que faz as maiores exigências a si mesmo e se esforça por colocar na vida o ideal anunciado. Esta paternidade irradia ao mesmo tempo a proximidade de Deus e da vida.

A PATERNIDADE DO HOMEM TERRENO NA VIDA FAMILIAR

PAI

No mundo atual, nunca foi tão importante renovar a família que é atacada por todos os lados, através da inversão de valores, falta de diálogo, falta de condições materiais, separações, entre outros. O Papa João Paulo II, em sua “Exortação Apostólica Familiaris Consortio”, faz-nos refletir que: “O futuro da humanidade passa pela família”, e mostra aos casais a importância de se viver plenamente a vocação familiar.

PAI E FILHOA salvação da família inclui essencialmente uma reforma de pensamento paternal, da consciência paternal e da paternidade. Fala-se muito da mãe e da maternidade, mas pouco sobre a importância do ser pai e da paternidade. É preciso urgentemente resgatar a vocação do ser pai. O pai, separado do contexto familiar gera consequências desastrosas: divisão, separação, desmembramento de toda vida familiar.

Para conseguirmos melhorar a formação e o cuidado com a família, alguns pontos se fazem imprescindíveis como: a plenitude da paternidade, a educação básica, a educação à vida, a educação religiosa.

A plenitude da paternidade – refere-se a um direito original, insubstituível, ou seja, o direito educativo dos pais.

FILHO E PAIA educação básica – É feita com valores essenciais para a vida humana, onde a família é a base e encorajamento para que os filhos consigam se sentir realizados, corajosos, maduros, psiquicamente equilibrados.

A educação à vida – Os pais devem ter noção de que é preciso dar aos filhos um sentido para suas vidas, não os colocando em uma redoma e sim, preparando-os para enfrentar o mundo.  Contudo, hoje, por exemplo, é preciso estar atento a tudo que possa criar outros ‘eus’, comprometendo a essência do homem idealizado por Deus.

A educação religiosa – É influenciada pela clareza das verdades religiosas, atmosfera do lar e exemplo familiar.

O SER FAMÍLIA    

SAGRADA FAMÍLIA 4Segundo o Pe. José Kentenich, o ser uma família ideal nos tempos atuais é quase um ato de heroísmo para conseguir enfrentar o mundo como uma família católica e também schoenstattiana. O catolicismo tem a família como fonte de fé e vida, que deve ser cuidada e desenvolvida com muita prudência e zelo.

O ser família é assumir o sacramento do matrimônio como um grande e belo dom de Deus.  A família é o ponto central de toda a sociedade, sendo a maior expressão do amor de Deus Pai para com seus filhos, pois seus membros são os instrumentos de Deus para a ação educativa dos valores e da religiosidade.  Fazer parte de uma família é uma oportunidade privilegiada; a família deve ser aquele lugar que se pode retornar todo momento.

 O exemplo mais sublime e perfeito de uma família é a Família de Nazaré, que é aquela que deve inspirar e dar forças a todas as famílias.  Como seria belo e agradaria a Deus Pai se cada mãe pudesse seguir o exemplo de Maria, assim como cada pai o de José e os filhos, o de Jesus! Esta sim, a família ideal!

O barulho do mundo, as distrações dos sentidos são o maior obstáculo para que consigamos ouvir e agir do jeito que Deus sonhou para nós. Sabendo de nossas fraquezas, Ele nos ofereceu sua Mãe. A Ela recorremos para que bem depressa, nas entrelinhas da vida, ouçamos a voz de nossa vocação. E uma vez alcançada, seja colocada a serviço, principalmente na restauração da família tão perigosamente perseguida nos dias atuais.

O Pe. Kentenich também nos mostra que, antes de renovar o mundo precisamos renovar a nossa família primeiro. Para isso, devemos buscar a forma magnânima do ser, em que a família consiga viver no mundo atual como Família de Nazaré, mergulhada numa verdadeira Aliança de Amor com a Mãe Três Vezes Admirável. Assim conseguirá expressar o ideal mais belo de uma família de Schoenstatt.

PAPA 15Segundo o Papa Francisco: “A primeira necessidade é precisamente esta: que o pai esteja presente na família. Que esteja junto da sua mulher, para partilhar tudo, alegrias e dores, trabalhos e esperanças. E que esteja junto dos seus filhos no seu crescimento: quando jogam e quando se empenham, quando estão sem preocupações e quando estão angustiados, quando se exprimem e quando estão taciturnos, quando ousam e quando têm medo, quando fazem um passo errado e quando reencontram o caminho. Pai presente sempre.”

FAMÍLIA – ETERNOS LAÇOS DE AMOR 

Para homenagear os pais, colhemos opiniões de alguns pais, esposos de mães de nossa comunidade. Registramos seus depoimentos sobre o significado de ser pai.   

Sandro, esposo da Angelita, pais do  João Vitor, Ana Júlia e Pedro Lucas.

“Ser pai é ser conselheiro, educador, é ser responsável pelo filho eternamente”.

Sigmar, esposo da Gláucia, pais de Vinícius e Nicole.

 – “Ser pai é ser aquele que indica o caminho para os filhos”. 

Arnaldo, esposo da Dôra, pais de Gustavo e Marcelo.

 “Ser pai é vivenciar o amor todos os dias“. 

Hélio, esposo da Luzia, pais de Débora e Carolina.

 – “Ser pai é graça de Deus para sermos exemplo”. 

Valter, esposo da Roseli, pais de Vagner, Pamela e Paula. – “Ser pai é a maior riqueza de amor”.

Concluímos, desejando-lhes um feliz “Dia dos Pais” com muito amor de Deus Pai e de Maria, nossa Mãe educadora, e com uma mensagem do Papa Francisco a todos os pais.

PAI – ESPELHO DE BONDADE E TERNURA

“Parabéns, parabéns pelo vosso dia! Peço para vocês a graça de ser sempre muito próximos aos seus filhos, deixando-os crescer, mas próximos, próximos! Eles precisam de vocês, da vossa presença, da vossa proximidade, do vosso amor. Sejam para eles como São José: guardiões do seu crescimento em idade, sabedoria e graça. Guardiões do seu caminho; educadores, e caminhem com eles. E com esta proximidade, vocês serão verdadeiros educadores. Obrigado por tudo aquilo que fazem pelos vossos filhos: obrigado. A vocês parabéns, e boa festa do pai a todos os pais. Que São José vos abençoe e vos acompanhe. E alguns de nós perdemos o pai, se foi, o Senhor o chamou. Podemos rezar por todos os pais do mundo, pelos pais vivos e também pelos falecidos e pelos nossos, e podemos fazê-lo juntos, cada um recordando o seu pai, se está vivo ou morto. E rezemos ao grande Pai de todos nós, o Pai. Um “Pai nosso” pelos nossos pais: Pai Nosso….”.

“Ser pai, é enxergar no sorriso do filho uma bênção de Deus, uma emoção ímpar, a alegria da vida!”. 

F E L I Z  D I A  D O S  P A I S!

Familia Feliz

Anúncios

Responses

  1. Parabens pela materia. Pela contribuição deste importante conteúdo para um mundo que sofre de orfandade !


Categorias

%d blogueiros gostam disto: