Publicado por: União das Mães | 10/16/2015

ALIANÇA DE AMOR

ALIANÇA DE AMOR 

“Se queres preservar a plenitude de espírito e de vida que se desenvolveu ao longo da história, faze da fidelidade à Aliança de Amor com a Mãe e Rainha Três Vezes Admirável de Schoenstatt sempre a tua maior preocupação e o teu objetivo predileto!” Pe. Kentenich

MTA ROSAS VERMELHAS

A vida de Aliança em Schoenstatt é o que deu origem à Obra de Schoenstatt. Portanto a origem divina de Schoenstatt é decorrente da ousadia do Fundador, Padre José Kentenich,  na Aliança de Amor de 18 de outubro de 1914.

A ALIANÇA DE AMOR É A CHAVE PARA COMPREENDER SCHOENSTATT

PK15Nosso Pai e Fundador, Padre José Kentenich, enfatiza o significado da Aliança de Amor: “Podemos designá-la como forma fundamental e sentido ou objetivo fundamental, como força e norma fundamentais de nossa família, e poderemos entender e explicar a história de nossa família como desdobramento histórico da Aliança, como autêntica história da Aliança, como triunfo da mútua fidelidade à Aliança.”

Schoenstatt não é apenas um lugar de romarias. Schoenstatt não é apenas um movimento religioso. Schoenstatt também não é apenas um caminho de formação. Schoenstatt é vida de Aliança com a Mãe de Deus; é uma concretização atual da Aliança salvífica selada com Deus.

Na semana de outubro de 1945 nosso Pai e Fundador explica: “O sentido da consagração não é outro senão uma Aliança de Amor com a Mãe de Deus. Uma Aliança de Amor, um relacionamento protetor, em que tudo está contido. Uma aliança, uma Aliança de Amor. Também podemos designar o caráter esponsal como caráter de aliança. É a expressão que sobressai. Deus selou a aliança e quer selar uma nova aliança com a humanidade. A aliada é a Mãe de Deus, na qual selamos a aliança com Deus. Por isso selamos primeiro a aliança com ela.” 

A ALIANÇA DE AMOR DE 18 DE OUTUBRO DE 1914

A Aliança de Amor selada com a Mãe de Deus em 18 de outubro de 1914 transcende, sob vários aspectos, a consagração a Maria habitual na tradição católica. A Aliança de Amor não é apenas um relacionamento de proteção, no sentido de que toda pessoa que se consagra à Mãe de Deus, refugia-se sob o seu manto. A Aliança de Amor trata-se da educação pela Mãe de Deus do novo homem na nova comunidade. Ela deve cuidar que a graça que recebemos no Batismo se desenvolva, formando-nos à imagem de Cristo.

Acresce a característica da reciprocidade. Não é apenas a Mãe de Deus a presentear algo, nós também ofertamos algo, empenhamo-nos pela missão da Mãe de Deus e levando nossas contribuições ao Capital de Graças.

Santuário Original 15

A Aliança de Amor está vinculada  ao Santuário.

Esta Aliança de Amor está vinculada a um lugar concreto, ao Santuário, e, portanto, à Mãe de Deus como ela se revela no Santuário: à Mãe, Rainha e Vencedora Três Vezes Admirável de Schoenstatt.

O Documento de Fundação do Movimento de Schoenstatt já permite reconhecer a centralidade da vinculação ao Santuário para a Aliança de Amor. Trata-se, justamente, de mover a Mãe de Deus a escolher a capelinha como lugar de graças. Padre José Kentenich sublinha constantemente a importância do Santuário para a Aliança de Amor: “Na Família, desde o inicio, vive a atitude, amplamente confirmada no decorrer dos anos, que a Aliança de Amor com a Mãe de Deus é expressão, meio e significativa garantia para Aliança com Deus. De igual forma, a Família está convicta de que a importância e fecundidade da Aliança aumentam quando a aliança é selada, com fé filial, em nosso Santuário, ou pelo menos em união espiritual com ele”.

Não pode existir uma Aliança de Amor com a Mãe de Deus separada do Santuário. Por isso, o Santuário é o segundo ponto de contato da Aliança de Amor.

Santuário 15

Aí, Maria, a Mãe e Rainha Três Vezes Admirável, estabeleceu sua “escola” de educadora. Aí ela acolhe, educa e transforma seus filhos e, a partir daí, ela os envia como apóstolos ao mundo.

Na Aliança de Amor com a Mãe de Deus concretiza-se a Aliança selada com Deus no Batismo.

No Batismo, diz nosso Pai, “todos os batizados selaram uma aliança com o Senhor. São batizados em virtude da sua morte, comungam da sua morte. Devem permanecer inseparavelmente vinculados a Ele, numa sagrada e misteriosa comunhão de ser, de vida, de amor e de sorte; com Ele devem ser inseridos na sua união de amor com o Pai, no Espírito Santo”.

Nosso Pai vai ainda mais longe, ao dizer: “O fato de Deus ter-me criado é a expressão mais perfeita da sua Aliança de Amor comigo. Deus não fala apenas por meio de palavras, mas também por meio do ser. Ele me criou para selar uma Aliança de Amor comigo. Quando me concedeu a vida divina, no santo Batismo, selou uma Aliança de Amor comigo!

Vida de Aliança com a Mãe de Deus

Na vida de aliança com a Mãe de Deus, concretiza-se a Aliança com Deus. Pela Aliança de Amor, a Mãe de Deus nos conduz à Aliança de Amor com Cristo, à Aliança de Amor com o Espírito Santo, à Aliança de Amor com o Pai, portanto, à Aliança de Amor com a Santíssima Trindade.

Na Semana de outubro de 1947, Padre José Kentenich disse: “Aliança de Amor com a querida Mãe de Deus tem como objetivo garantir, perenizar e fecundar nossa aliança com Jesus e com a Santíssima Trindade”.

No terceiro Documento de Fundação nosso Pai e Fundador, Pe. José Kentenich, aponta explicitamente para este mandamento de amar a Deus com todo o coração, com toda a alma e com todas as forças.  Neste contexto explica: “Portanto, o coração indica dupla profundidade”. É símbolo das faculdades efetivas, do subconsciente e do inconsciente. Gostaríamos de estar desprendidos de nós mesmos, de tal modo que a vida subconsciente de nossa alma se entregasse sem reservas e incondicionalmente, como instrumentos, ao Mestre da Obra.

Expressamo-lo com as palavras: três corações e uma só pulsação. Trata-se do coração da Mãe de Deus, do coração de Deus, do meu coração. Mais tarde, ele chega a falar de cinco corações: da Mãe de Deus, de Jesus, do Espírito Santo, do Pai celeste e do meu. A perfeita Aliança de Amor é o perfeito desprendimento do próprio eu e a perfeita doação à Mãe de Deus, ao Deus Trino.

SANTUÁRIO MTA

Na Aliança de Amor, colocamo-nos ao dispor da Mãe de Deus como instrumentos para a sua missão a partir do Santuário. Quanto mais elevado o grau de nossa Aliança de Amor, tanto maior a disposição de ser instrumento. Seremos instrumentos perfeitos unicamente se estivermos totalmente desprendidos de nós mesmos e totalmente doados a ela.

CULTURA DA ALIANÇA

A Aliança de Amor cria uma cultura de aliança, como forma concreta de viver e trabalhar na união com Deus, com as pessoas, com a natureza, com a Igreja e o mundo, sempre tendo como base fundamental essa Aliança de Amor.

PAPA FRAN

O compromisso com a cultura de aliança impele Schoenstatt a sair dos Santuários e ir até as periferias existenciais, para “santuarizar” o mundo, como disse o Papa Francisco.

É este o significado da “imagem peregrina”, na qual a Mãe de Deus e nossa Mãe se dispõem a ir ao encontro das pessoas, a partir do Santuário Original, dos mais de 200 santuários filiais, santuários peregrinos, dos santuários-lares, santuários-corações…

A Comunidade da União Apostólica de Mães de Schoenstatt

Nós, como partícipes dessa comunidade, somos chamadas e convidadas a viver com fidelidade nossa Aliança de Amor.

Na Aliança de Amor em Schoenstatt Maria tem o papel principal – Mãe e Educadora. Ela nos ama primeiro e a Aliança é nossa resposta ao seu amor. Quando selamos nossa Aliança de Amor, o coração de Maria pulsou em nosso coração.

E na Aliança de Amor com Ela, trilhamos nosso caminho, conscientes de sermos chamadas e enviadas, em nossas famílias, na Igreja e na sociedade, como senhoras e mães, para sermos em nosso tempo, reflexos de Maria.

E onde está o coração de Maria, está também o coração de Deus Trino. Que o Espírito Santo esteja entre nós, conduzindo-nos ao encontro de Deus, para que possamos transformar a nossa vida e nos tornar ‘outros Cristos’, ‘pequenas Maria’, em nosso mundo tão carente!

MTA DE SCHOENSTATT

“ENQUANTO OS FILHOS DE SCHOENSTATT PERMANECEREM FIÉIS À SUA ALIANÇA DE AMOR, ELA CONTINUARÁ CUIDANDO DE SUA OBRA.”

 

 

Anúncios

Responses

  1. Parabéns ao 5º curso e à Candida pelo trabalho brilhante deste mês. O tema”Missões” é contagiante e muito atual. Temos acompanhado as falas do Santo Papa e tudo converge para o mesmo objetivo.
    Que alegria e que gratificante é poder fazer parte deste time tão especial e tão abençoado.É um privilégio!
    Unidas sempre na Aliança de Amor.
    Suely Luzia Crema Bayerlein ( 3º curso)


Categorias

%d blogueiros gostam disto: